13/06/2012

#23 letter to the last person you kissed


Olá bichinho,
estou a escrever-te, mesmo sabendo que não vais ler. Tal como o meu coração aos poucos se está a abrir, mesmo sabendo que nunca vais querer entrar nele. Tal como os meus olhos te procuram no meio de tanta gente, mesmo sabendo que não queres que te encontre. Tal como me tento agarrar a ti, mesmo sabendo que, como toda a gente, vais achar-me demasiado complicada e confusa e vais acabar por sair da minha vida. Mesmo assim, tento não pensar muito nisso, sabes? Tento fazer algo que nunca fiz, tento deixar as coisas andarem e ver o que acontece, sem pensar demasiado sobre isso, porque corre sempre mal. A verdade é que num momento muito escuro (mais do que o normal) da minha vida , tu apareceste. Assim do nada, apareceste e inocentemente o espaço entre nós foi ficando mais pequeno até ao dia em que acabámos com ele. Agora, diz-me, como é possível seguir os conselhos que muitas vezes eu já dei? Como é possível não me apegar a ti, não pensar no que passamos, não me agarrar demasiado? Como? Eu andava à procura de alguma coisa pela qual lutar, alguma razão para não desaparecer um dia sem avisar.. e apareceste tu. Mas quando páro um pouco para pensar, chego à conclusão de que ando a correr atrás de uma ilusão. Tenho de parar com isto. Nunca ninguém fica muito tempo na minha vida. Tenho uma mente sombria e um pensamento estranho e nunca ninguém aguenta isso. Mas anyway, obrigada por andares a fazer-me sorrir, estava a precisar de alguém como tu.
Gosto muito de ti. E sim, até que és fofo,
beijinhos a (tua) Rainha 

3 comentários:

Inês Geraldes disse...

Gosto muito que te sintas assim. Não penses que vai fugir, pensa em agarrá-lo enquanto cá estiver.

CM disse...

gostei muito deste texto!

Mariana disse...

Adoro *o*