25/12/2010

Ouve:

eu lutei até desgastar as armas
escondi o que sentia
gritei até ficar sem voz
cantei até se acabarem as músicas
saltei até cansar as pernas
desenhei até nãohaverem mais figuras
fingi um sorriso até doerem os músculos da cara
desejei imenso até que se acabaram os desejos
chorei até ficar sem lágrimas
pintei até não haver mais lápis e papel
calculei até não haverem mais números
sonhei até ao infinito
escrevi até não ter palavras
fiquei até me doer o corpo todo
tentei agarrar até fartar
ouvi até me doerem os ouvidos
vi até doer os olhos
quis tocar-te até ficar envergonhada
beijei-te quando pude
esqueci até dar dó
li até ficar com ciúme
quis-te até ao fim do mundo
até hoje
(e o que aconteceu hoje?
acordei a pensar em ti,
quero-te como ontem.
e quando te tiver, não te largo)

« és a causa da minha doença rara,
por tua causa não consigo tirar o sorriso parvo da cara »
quero-te, quero-te, quero-te :$ ♥

3 comentários:

мarília'мoiralinho disse...

AMO AMO AMO AMO AMO AMO AMO AMO AMO AMO . Meu deus, AMO! Está original, está, está.. olha, está perfeitamente perfeito. nao vejo melhores palavras para o descrever. escrevias escreves e escreverás semper desta maneira: originalmente original <3

c. disse...

obrigada marília :$ os textos só surpreendem assim as pessoas quando são mesmo sentidos, e este é um deles pelos vistos :D MUITO OBRIGADA (aqui posso agradecer :b) ♥

мarília'мoiralinho disse...

ahah claroo que podes, mas so porque estamos no blog! :b
De nada (: